Social Icons

Eu sou intolerante ao calor

31 de julho de 2020



Aqui estou eu de novo! Este verão tem sido uma longa pausa na minha vida. Isto porquê? Porque eu odeio calor e estas temperaturas exacerbadas (desculpem-me)! De manhã quase 30 graus é demais! A pessoa transpira, a pessoa tem que fugir para a sombra, não sair naquelas horas tórridas que se estendem até à noite, a pessoa não tem vontade de comer comida quente, nem tão pouco cozinhar, a pessoa fica pegajosa, mata mosquitos antes de dormir, a pessoa dorme cinco a seis horas, a letargia aumenta, anda de mau-humor, enfim... O verão para mim é uma estação muito difícil, um verdadeiro problema, eu sou o outono e o inverno, mas compreendo que algumas pessoas sintam o oposto. Cada pessoa tem o seu termóstato interior certo? O meu é suportável até aos 26 graus. Sonho com aquele verão de antigamente, em que no mês de setembro já se usava uma camisa ou um casaco leve. 

No meio desta aflição tenho procurado respostas para os meus dilemas, para as minhas fragilidades internas, mas na verdade ando à volta e não tenho encontrado grande solução. Penso na formas de contornar esta situação. Felizmente todos os anos as estações são cíclicas, mas eu vou ter que me habituar a cada ano aos dias de calor extremo!


O que tenho tentado fazer:

- Aceitar. 
- Não se pode ficar à espera de apoteóticos momentos para se ser feliz.
- Mentalizar o meu estado emocional que o tempo quente irá provavelmente ficar até outubro. O outono já era...
- Descansar nas horas piores para recuperar o equilíbrio e o bem-estar.
- Sair sempre que seja possível.
- procurar os espaços verdes. São a minha cor terapêutica e porque geralmente são mais frescos.
- Fazer uma caminhada, explorar a natureza, ir à praia, tudo isto de manhã cedo ou ao final da tarde.
- Mentalizar que não posso ter aquele jardim que idealizei.
- Sair sempre com água termal.
- Observar o pôr-do-sol (tem-me feito tão bem!).
- Tirar da mochila a máquina fotográfica.
- Abrandar o que não pode ser feito.
- Parar de comparar a vida nos países a norte com o lugar onde vivo.
- Mentalizar que é uma fase, e que tudo passa e o calor também vai passar.

Todas as fotografias foram tiradas depois das 20:00 h na serra da Arrábida. Ouviam-se, as cigarras, os melros e vimos uma libelinha azul turquesa. Em tudo na vida há sempre um, momento, um detalhe, uma palavra, um tesouro guardado para ti, é uma questão de tempo.

4 comentários

  1. Tal como já te disse também me dou mal com o calor, sobretudo de noite, por isso, apesar de alguns dias quentes, aqui em Sintra o Verão nem tem sido assim tão agreste. Embora dê graças pelo micro clima temperamental, às vezes chateia estar em casa com um dia fantástico e chegar à praia e nem se ver o mar com a neblina que está ( por isso é que agora não saio de casa sem ver o site beachcam).
    Acho que te ias dar muito bem por aqui. Já tinhas vestido o casaquinho uma data de vezes garanto-te ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim Dulce, tenho a certeza que ia adorar viver perto da serra de Sintra :) pela vila, pelo clima, de bosque, uma série de razões! Da janela de casa da minha mãe, vejo a serra de Sintra, quase sempre envolta numa neblina. Podes não gostar, mas eu acho isso o máximo!
      beijinhos

      Eliminar
  2. De facto o calor demasiado pode ser atroz, mesmo para quem como eu gosta de verão. Não há como sair da cama sem gelar, como acontece no inverno quando tiremos um braço fora da roupa. E vestir apenas uma peça (salvaguardadas as peças interiores claro está) e já estar despachado e calçar umas sandálias... uma série de coisas boas, no meio do difícil que é o verão. Que estas temperaturas nos cansam mais que as baixas, sim, é verdade, mas são ossos do oficio (da estação). Tudo o que vejo na sua lista de atividades me parece bem e também poderia fazer, apenas acho que não vale a pena pensar que o calor vai passar... é melhor pensar apenas no que fazer de bom, enquanto ele durar e quando der por isso já passou... Depois, reparei no seu segundo parágrafo "No meio desta aflição tenho procurado respostas para os meus dilemas, para as minhas fragilidades internas, mas na verdade ando à volta e não tenho encontrado grande solução." e pareceu-me que ia muito além do estado de calor. Estou certa? Não querendo evangelizar ninguém, não posso deixar de lhe perguntar, já pensou em estudar a Bíblia para conhecer Quem lhe pode dar soluções? A confiança em Deus e nas Suas promessas para nós, é uma solução eficaz para qualquer problema, mesmo que de imediato não pareça. Um beijinho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada pela solução que me apresenta. Eu sou católica, sou uma pessoa de fé, acredito em Deus, mas também acredito na força do universo, na natureza e no que nos rodeia. As minhas fragilidades internas, referem-se à falta de liberdade (que o calor me tem roubado), à descoberta daquilo que quero fazer nos próximos tempos, basicamente é isto. Mas agradeço MUITO o comentário! Bem haja :)

      Eliminar