Fotografia

Quando viemos morar para esta casa, comprei quatro trepadeiras. Com o passar dos anos elas cresceram tanto que já ultrapassam o telhado! Gosto de abrir uma janela e ver verde e flores a treparem pelas paredes, isso dá-me uma certa nostalgia e inspira-me. É o meu cenário predilecto e  acho-o tão poético! Sou muito feliz por morar no lugar onde vivemos. Faz-me igualmente feliz fotografar. Não sou uma grande fotógrafa, mas quanto mais eu treino, mais eu aprendo. Estou de momento a traçar algo de novo, para vos mostrar nos próximos tempos.

No meu Instagram vou partilhando convosco as minhas fotografias,  as minhas composições, a minha caminhada fotográfica.

Espero que gostem das minhas fotos.


Equilibrio


No Domingo, fomos a um dos meus lugares preferidos na serra. São tantos os lugares que gosto, que acabo por os batizar, atribuído-lhes um nome. Há lugares aqui incrivelmente belos e por esta razão nunca me canso de dar um passeio em busca de inspiração e energia. Aqui, com o tempo ganhei a certeza que esta aproximação é um dos pontos chave para meu equilíbrio. Aqui a minha alma encontra o consolo, o colo e a tranquilidade. Sempre fui muito ansiosa, tenho um cérebro que está sempre a pensar, está sempre mais além do que eu gostaria, e muitas vezes quando falam comigo a meio de uma conversa eu já estou a pensar sem querer noutra coisa qualquer. Tudo isto agravou quando me afastei do campo durante três anos. Fiquei muito deprimida e emagreci 12 kg. Dentro de mim, havia um turbilhão de pensamentos sempre a ecoar que ali não era o meu lugar, sentia-me inquieta, insatisfeita e o meu corpo estava fraco. Eu precisava de estar conectada com a natureza e a natureza estava longe de mim. Na vida temos que aprender a ouvir-nos, a escutar o nosso ser interior, a procurar encontrar soluções que nos permitam aliviar as nossas inquietações, medos, receios, etc... e  lutar contra isso, tomar decisões ainda que possam ser apenas aprendizagens e não certezas e se tivermos que mudar algo nas nossas vida que seja para nosso bem, que o façamos! 

No Domingo, registei estas flores que hoje partilho convosco. 


O que vos inspira?


O que vos inspira?
Esta é uma questão que pergunto muitas vezes a mim própria. A inspiração é uma daquelas palavras que tal como a fé servem de alimento ao meu Espírito.

Ontem, finalmente consegui arranjar tempo para dar início à minha agenda a "Joy Planner" que comprei aqui, um presente que fiz questão de oferecer a mim mesma. Tinha-a guardado para um dia que eu achasse que teria mais tempo para dedicar e dar inicio a este caderno, mas o tempo foi passando e esse dia nunca mais chegava. O que é certo é que decidi que seria naquela noite, ontem, que lhe ia prestar a merecida atenção e que se estivesse há espera do momento certo, só arranjaria desculpas!

A joy planner é mais que uma agenda, é um exercício de reflexão é uma ferramenta de auto-ajuda.
Logo nas primeiras páginas, encontrei um desafio que me obrigou a pensar: saber exatamente o que me nutre e inspira. Um bom começo, diria que a chave de tudo está logo ali ao principio. Pressenti que que eu e este bloco iríamos ser inseparáveis! Que havia ali uma alquimia.

O que me inspira? Pergunta.
Definitivamente, o campo, a natureza. Os vales verdes e as montanhas da Arrábida. As árvores, onde crescem fetos e musgo no inverno e no verão flores e frutos. O som do vento nos ramos e nas folhas. As gotas pendentes nos arbustos depois de um dia de chuva. O silêncio nos vales e o cantar dos pássaros. A imensa liberdade que sinto, quando caminho sozinha pelo campo. O cheiro da floresta e o som das minhas botas na terra. É principalmente isto que me inspira e me trás feliz para casa. 

E vocês, o que vos inspira?

(este não é um post publicitado).

Redes sociais

Já não vinha ao blog escrever desde o final do ano! Pois bem, este será então o meu primeiro post de 2018 o estranho é lembrar que antigamente escrevia por aqui quase diariamente. Novas plataformas digitais dão lugar a outras e se ontem o blogger era rei,  na verdade o Instagram chegou e conquistou! Quem me vai acompanhando nessa rede social, sabe que diariamente postava uma fotografia, aproveitava também a largueza para escrever simulando um outro post fingido. Entusiasmei-me pelo Instagram da mesma forma que outrora me entusiasmara pelo flickr, o que é um belo isco para quem gosta de fotografia! Com isto, passava muito tempo de conta em conta a ver por vezes repetidamente as mesmas imagens, até que me aborreci de estar sempre a perder tempo com o mesmo; contudo, não quer dizer que tenha deixado o Instagram de parte, continua a ser a minha App preferida, até que adoro poder regalar os olhos numa bonita fotografia e depois há sempre aquelas pessoas que nos inspiram. Honestamente o que aconteceu foi que aos poucos me fui desinteressando, isto porque o Instagram me estava a levar para um caminho que não era o meu. Eu quero postar com prazer e com criatividade, pois foi sempre esse o lado que escolhi para vos mostrar e não quero de modo algum fazer termos de comparação, porque razão a minha foto tem menos likes a comparar com a de outra pessoa que apenas mostrou o lado trivial de sua vida! É claro que possa existir quem pense que a minha galeria afinal de contas só mostra o lado bonitinho e perfeito e que a vida não é nada disso! No fundo, o que quero é postar quando quero e posso ou quando me sinto inspirada a mostrar algo convosco e fazê-lo por puro prazer e não porque se calhar se fizer tudo certinho a tempo e horas até vou ter mais seguidores ou não! Se no principio era assim que fazia é assim que irei continuar a fazer. Tudo ao meu ritmo e não ao ritmo das estatísticas ou do que seja...

Bom, com isto criei algumas regras básicas para o meu tempo nas redes sociais, mais concretamente para o Instagram:

Primeiro, reparei que via demasiadas vezes as mesmas fotografias. Para quem não sabe eu tenho duas contas, a da by deva e a minha conta pessoal e seguia exatamente as mesmas pessoas em ambas as contas. Então, o que fiz foi eliminar do by deva muitas das contas que seguia na minha conta pessoal, assim já não as vejo a duplicar.

Segundo: sabem quando abrem o feed e deparam-se com imagens que por vezes estão sempre a passar, porque afinal fizeram gosto naquela conta mas na verdade até nem gostam assim tanto? Pois bem, definitivamente removi essas contas. Se nunca lhes dou importância por que razão as sigo?

Terceiro: quando queremos procurar alguém que seguimos, mas não nos ocorre o nome e temos que procurar no meio de 1000 ou mais outras contas, tipo, como encontrar uma agulha num palheiro! Destralhar, também serve para limpar a casa e a nossas redes sociais.

Quarto: desmotiva a ideia de ter 1300 seguidores há mais de um ano, por mais que cries imagens bonitas para mostrar. A tua conta a cada semana ganha 10 seguidores e na semana seguinte perde nove. Abranda e posta naturalmente sem qualquer tipo de interesse no número ou expectativas.

Quinto: Se temos tempo para estar no Instagram, não nos podemos queixar que não tivemos tempo para fazer uma caminhada, ou ler aqueles últimos capítulos de um livro que falta para terminar.

Sexto: abrir a pestana e pegar logo no telemóvel, de todo, isto não é nada bom!

Décimo- não tenho que me reger ao relógio do Instagram, mas sim às minhas prioridades.

Mais umas coisas sobre o Instagram:
Não é obrigatório mas é simpático (nem que seja uma vez) retribuir um gosto ou um comentário a quem nos segue diariamente há alguns anos.
Não é bonito bloquear pessoas. Temos sempre duas opções denunciar ou remover.
A meu ver as pessoas interessam-se muito mais por quem  mostra a vida real no Instagram do que por um trabalho ou uma fotografia bonita, comparo muitas vezes o Instagram a uma novela, as pessoas que expõem as suas vidas publicamente atraem mais seguidores do que outras.
Mas não existe mal nenhum nisso, cada qual deve partilhar aquilo com que se sente bem.

O Instagram continua a ser a  minha app preferida porque através dele tenho a possibilidade de ver inúmeras coisas de temas que me interessam e aprender com tantas outras partilhas.


A fechar 2017

Este é o meu último post no blog de 2017. 
Estas fotografias foram tiradas ontem de tarde. Estava uma tarde agradavelmente simpática e aproveitamos para levarmos os miúdos a brincar na serra. Eu caminhei um pouco e pude apreciar calmamente a paisagem verde de inverno, o som de uma ou outra ave e o vento. Este lugar e outros que vou descobrindo aqui na serra, serão para mim um género de consultório psiquiátrico, onde a terapia se resume a uma única coisa, contemplação! 

Por lá os meninos correram, desenharam na terra, apanharam musgo e vieram para casa cheios de terra e lama. Por vezes, lamento tanto não ter tido mais filhos, quando observo o meu filho a brincar com os amigos ou amigas; porém, tenho que me lembrar de todos aqueles que não têm filhos e agradecer e deixar este pensamento egoísta libertar-se de mim... Tento ser boa mãe e espero que a cada ano eu própria aprenda a ser uma melhor pessoa.

2018 aproxima-se, como desejo peço que possamos gozar todas de muito boa saúde e que 2018 nos traga muitas alegrias e paz, muita paz para este mundo por vezes tão controverso. Que cada um de nós seja consciente nos 365 dias do ano, que pratiquemos boas ações, respeitáveis e que nunca deixemos de pensar no nosso semelhante. Espero continuar a inspirar-vos e espero também que me acompanhem nesta jornada!

Bom Ano Novo!


Decorações simples de Natal

Todos os anos por esta altura, de loja em loja eu costumava procurar e comprar novos enfeites para a árvore de natal e para a casa, mas hoje, aproveito o que tenho dos anos anteriores e tento eu própria criar algumas decorações. As revistas e o Pinterest são a minha fonte de inspiração, junto com a Natureza. Para decorações simples não é preciso muito! Sugiro, que deem um passeio pela floresta, ou por um pinhal e recolham alguns ramos de pinheiros, de cedros e apanhem algumas pinhas. Já em casa, reciclem frascos de vidro e enfeitem-nos com os ramos, velas, luzes, pinhas, fitas vermelhas ou verdes. Era para trazer-vos mais ideias de enfeites de Natal, mas entretanto, estou com uma grande constipação, o que me impossibilita de sair... portanto isto ficou mais ou menos a meio.
No nosso quarto, lembrei-me que tínhamos uma capa de edredon vermelha que compramos em Amesterdão! Foi o melhor pano de fundo, para vestir e colorir o nosso quarto para esta quadra. 

Para estas fotos precisei de:
frascos de vidro (usei de iogurte, os restantes estão para venda na Loja)
velas
luzes
forminhas de bolos
fitas 
ramos de pinheiro e cedro
pinhas
musgo
bagas


Dias frios no campo

Agora sim, o frio chegou! Já me posso começar a despedir do Outono e preparar a casa para o Natal. Com dias de calor lá fora e o sol a brilhar intensamente, não sentia vontade de decorar a casa, como disse anteriormente queria aproveitar o outono sem pressa. Hoje, custou-me imenso a sair da cama, mas assim que abri as portadas e vi a relva com geada sorri de satisfação (desculpem-me todos aqueles que anseiam pelos dias quentes)! O meu filho todas as manhãs implora pelos dias de verão para puder ir para a praia e reclama pondo imensos defeitos aos dias de frio! Acha estranho e interroga-me: mamã como podes gostar do inverno? É normal ele nasceu em Junho, eu em Janeiro. 

Acordei, ajudei o Tomás a despachar-se e enquanto ficou a tomar o pequeno-almoço fui descongelar o vidro do carro, foram precisos alguns baldes de água. Deixei o menino na escola e fui tirar umas fotos. Estavam -4 graus. As minhas mãos gelaram, e os meus pés esqueci-me que existiam. Os campos esta manhã em Azeitão estavam cobertos por uma imensa geada, enquanto o sol brilhava de mansinho entre as árvores. As bagas e folhas despertaram cobertas sobre cristais de gelo e a meu ver tudo ao meu redor estava maravilhoso! Vou-vos mostrar algumas das fotos que tirei esta manhã. 

Mas antes, agradeço aqui a  todas as meninas que responderam ao formulário. Fiquei muito feliz, por saber que o tema principal do blog é o que vos continua a trazer ao meu blog, - a Natureza. Vou pensar numa rubrica semanal, que nos agrade a todas.
Tenham uma boa semana!



Instagram