Social Icons

Lanche

30 de janeiro de 2011

Não vos acontece aos Domingos apetecer principalmente nestes dias frios e com chuva ficar em casa, e depois de almoço quando tudo está calmo e tranquilo ir para a cozinha fazer assim uma receita de um bolo, de umas bolachas, ou de uns scones? Pois é, hoje foi o que fiz, e para o lanche do meu Espinafre escolhi os scones com pepitas de chocolate da Mafalda Pinto Leite. E claro que sim, estavam óptimos! E vocês como aproveitaram este Domingo?

Um passeio a pé

29 de janeiro de 2011

Se há algo que me deixa completamente em paz é um simples passeio pelo campo. Ontem, pela manhã numa aberta de sol arriscamos a caminhar um pouco. A serra acolheu-nos soberanamente vestida sob um manto verde musgo, contrastando aqui e ali bagas que se faziam realçar em vermelho escuro. Havia no ar o cheiro húmido característico dos dias de inverno, dos dias em que o sol espreita o frio, e um cheiro levemente morno de quem fazia queimadas fez-se juntar. Uma simbiose agradável de aromas campestres pairava no ar.

Bom fim-de-semana!

Retalhos

26 de janeiro de 2011

Registado a 30 Agosto 2004

Alguém me disse que te viu. Que poder arrebatador é este? Estremeço dentro de mim, quando oiço passado tanto tempo pronunciarem as sílabas do teu nome. Feridas recalcadas emergem à superfície causando danos que aos poucos reconstruo e saro.
Invades-me sem permissão e pudor e rasgas-me em retalhos de memórias violentas.
No teu íntimo adivinharas o desfecho como se te tivessem contado o final de um conto, mas o teu egoísmo prevaleceu e a história fizeste-la tu sem perdão. Dizias que utilizavas as pessoas e uma vez esquecidas seriam para sempre numa gaveta guardadas! Mas não sabes tu que eu vejo a luz da vida através de um sonho imaginário. E num só sopro apagar-te-ei por completo.

26 de Janeiro de 2011

Sentimento este que hoje sinto e que me obriga a arrancar palavras. Esquecido e recalcado no fundo do meu ser. Culpa, vergonha, paixão e risco. A audácia tua, o medo meu, ambos na linha tangente da descoberta. O fulgor e a aprendizagem a constante lição lado a lado daquilo que éramos. Faz pouco tempo que me lembrei de ti, assim como uma névoa que passa rapidamente. Vi-te em micro segundos e ouvi-te num som surdo… passou, passou até hoje, ao dia em que voltaste pela notícia da tua própria morte… e em que tudo voltou a ficar vivo num lugar qualquer dentro de mim.

O seu Quarto


Depois de uma semana em casa doente, onde se espalharam todos os brinquedos, jogos, lápis, livros e puzzles e, se fizeram tantas brincadeiras para distrair a febre; hoje tudo voltou à rotina normal, ele foi para escolinha e eu aproveitei a colocar tudo no devido lugar (à noite volta a estar tudo no tapete, no chão e a voar por toda a casa...). Vou agora aproveitar a fazer algumas alterações, mudar alguns dos móveis e fazer umas pequenas mudanças no seu quarto. Vamos esperar que goste...

Obrigada!

25 de janeiro de 2011


Esta manhã ia deixando fugir o carteiro que me trazia uma caixa surpresa, enorme e cheia de amizade. Abri-a e vou partilha-a convosco não só em imagem como em palavras. É de salientar este lado bom e humano que está por detrás de quem utiliza a Internet, as amizades que ainda que virtuais se vão criando por este caminho ainda tão incerto e obscuro. Através deste mesmo endereço online têm chegado várias pessoas: umas que aqui se cruzam e não voltam, outras que se cruzam e por aqui me fazem companhia, que me escrevem, me telefonam, me enviam pacotes de muito longe e que me visitam, - é por estas mesmas pessoas, ou seja, por vocês que continuo a ilustrar esta página. São vocês que fazem o by Deva, continuar a Existir, apesar da dificuldade em tentar fazer destas duas silabas um dia uma marca, um nome e não uma sombra face ao que em muito tem sido.

Obrigada não só à pessoa que me enviou esta manhã este pacote cheio de presentes para mim e para o meu "espinafre", como aos que já o fizeram também anteriormente, mas principalmente aqueles que me lêm de vários pontos do país, aos que fazem os contadores de visitas lembrarem que esta página não está aqui por estar, esquecida - aos quase 1oo seguidores deste blog, ainda que sejamos só 100, aos que comentam, aos que espreitam em anonimato, enfim a todos o meu muito Obrigada!

Ide...

23 de janeiro de 2011

Remexi as gavetas e desencantei um cachecol de lã opaco e grosso, com ele dei tantas voltas quanto pude ao pescoço e, seguindo este ritual só me fez lembrar uma foto da minha mãe em Marrocos de cobra ou serpente enrolada ao pescoço, sorrindo triunfante que nem uma “Jane” para o fotografo meu pai. Um sobretudo para me aquecer e proteger do frio e face ao meu ar de pessoa febril e tez pálida, umas pinceladas de pó mineral nas bochechas e estou como nova para ir exercer o meu dever cívico! Povo do sofá, vede o meu exemplo e tomai-o como vosso, ide VOTAR!
(apesar de chegar a casa com aquela sensação que o país vai continuar na mesma palhaçada de sempre…)

Há dias que se pintam assim...

17 de janeiro de 2011


Hoje a minha manhã pintou-se e vestiu-se de amarelo. O sol acordou baixo e radioso e finalmente pude carregar toda a máquina de lavar e abusar das cordas e estendais. Dei um passeio de bicicleta em busca de limões para uma tarte merengada. O gato saiu para o seu poso preferido, por cima da árvore, e estendeu-se nele que nem uma pantera perante os primeiros raios de sol d`inverno. Do campo e do passeio, para além dos limões, não resisti e acabei por apanhar algumas flores campestres e, sem qualquer opção de escolha todas tinham algo em comum; eram amarelas!

Não sei ao certo de que cor se disfarça a Felicidade, mas hoje a minha pintou-se assim...

15 Escritores

16 de janeiro de 2011

Eu e os blogs temos assim uma relação como que de amor à primeira vista. Percebo que gosto de um blog quando sou atraída ou pela leitura que muito ou pouco terá algo a ver com aquilo que aprecio e me preenche, ou pela fotografia; nesse dado momento guardo-o para que não o esqueça. Acabo por ter pastas e sub-pastas de blogs favoritos, todos eles ordenados por temas e interesses. Acontece que não os visito diariamente ou com alguma regularidade, mas quando o faço - faço-o com alguma persistência e foi assim que passado algum tempo dei conta ao revisitar os arquivos e fotos de um dos meus blogs favoritos o Kase-faz da Maria, que tinha por lá um desafio para responder - Quais os meus 15 escritores preferidos - Vindo à partida de uma das pessoas cujo o trabalho muito admiro e sendo um tema que me desperta interesse decidi desde já aceitar.
Lembro-me que os primeiros livros que comecei a ler com muito entusiasmo foi a colecção da "Anita" escritos por Marcel Marlier e Gilbert Delahaye, em Portugal editados pela Verbo. Tinha cerca de três dezenas de livros da Anita e cada um deles era sempre uma agradável surpresa. Por volta dos dez onze anos coleccionava os livros da Julie Campbell, "As aventuras de Patrícia", em português, no original "Trixie Belden". Ao sabor da aventura e suspense sonhava descobrir pistas e segredos e passei a ler a Agatha Christie. Na adolescência passei a folhear Romances Históricos. Existia uma editora que se chamava "Temas da Actualidade" e tinha vários livros históricos contados sob a forma de romance, li um dos que foi e é hoje um dos meus livros preferidos, que inclusive podemos assistir à série que está a passar na tv, refiro-me aos "Pilares da Terra" de ken Follett - hoje editado em dois volumes pela Presença. A Asa editora acabou por dar seguimento aos livros de lombada preta, e editou uma série de romances históricos; dos meus autores preferidos de sempre a Catherine Clement e, de todos os seus livros o "Por Amor da Ìndia". Kenizé Mourad, especialista em assuntos relacionados com o Médio-Oriente e Ìndia deu-me a descobrir toda a sua história e vivência através dos seus dois únicos livros. Ainda dos históricos, Robin Maxwell e a trama da Dinastia Tudor. Os clássicos portugueses como Júlio Dinis, Eça de Queiroz, etc... eram lidos durante as férias no período antecedente às aulas.

Mais tarde entrei no mundo livreiro e este passou a fazer parte de oito horas diárias do meu trabalho, assim como algumas feiras do livro.
Passei a ter oportunidade de comprar mais livros e fazer assim crescer a minha estante de "jóias literárias". Aprendi a gostar de poesia e escolhi alguns nomes como Maria Teresa Horta, Jorge de Sena, Mário Cesariny, António Ramos Rosa, Herberto Helder, Ruy Belo, Antero de Quental, entre tantos outros...! Descobri o lado filosófico de Clarice Lispector, da Virgina Woolf, de Albert Camus...

Penso já ter ultrapassado os 15 escritores, mas só para concluir este post,- é-me difícil esta escolha..., quando existem tantos nomes sonantes e outros até menos ilustres, mas que nos acompanharam cada um ao seu ritmo, nos fizeram sonhar e crescer - é difícil - lembrarmos-nos de quinze ou de apenas três, quando todos são únicos e, excepcionais num todo!

Para além dos autores gosto de livros, do cheiro das capas, da cor, das linhas e letras, das palavras do livro enquanto objecto.

Gosto de mexer nos meus livros de arte e procurar num Vermeer ou numa colecçãoTaschen, a perfeição daquilo que para mim é agradável e "belo".

Hoje, infelizmente não leio tanto como gostaria mas tenho sempre algum livro a acompanhar os meus dias.

Obrigada Maria, por este desafio e que venham mais se forem tão bons quanto este.

Teria alguma curiosidade em ler as respostas da Virgínia do "Amo-te Mil Milhões" e da Dora do blog "Capricorniana"; a todas vós que me ledes, aceitem o mesmo desafio como vosso, e partilhem-no connosco.

Dias de frio e sol

Está sol lá fora acho que hoje vamos repetir o nosso passeio ao moinho.
Bom Domingo!

Morning

13 de janeiro de 2011




Há manhãs que se enquadram assim numa imagem, num pensamento, numa música...

A Estufa

10 de janeiro de 2011

Dentro da estufa começaram a brotar da terra os primeiros sinais de vida das sementes que plantei há 4 semanas. O tomate, o pimento, e o mangericão foram mais rápidos que os outros. Assistir ao desabrochar da natureza é sem dúvida uma experiência muito gratificante. Na passada semana a estufa caiu com o vento, acabando por deitar ao chão tudo o que tinha feito. Sem desesperar voltei a colocar as sementes e a terra que consegui apanhar dentro dos tabuleiros e numa semana tudo voltou à normalidade; é extraordinário o poder da natureza!

Domingo

9 de janeiro de 2011

Estes dias de inverno são perfeitos para estar em casa experimentar novas receitas e por a leitura em dia.

Receita de Pannacotta de baunilha com calda de maracujá, da Mafalda Pinto Leite. Fiz algumas pequenas alterações à receita; substituí a citronella pela baunilha e o açúcar de palma por açúcar normal, depois tripliquei a receita para obter o número de doses que queria.

Desejo-vos um óptimo Domingo!

Doce de Abóbora

7 de janeiro de 2011

A abóbora foi-me oferecida e pesava 10,600g. Pensei logo experimentar fazer doce e congelar o restante em alguns sacos individuais para a sopa. Vi algumas receitas de doce de abóbora nos livros de cozinha que tenho cá por casa e outras na Internet e decidi-me por uma terceira, de uma senhora que vive perto de mim que por sinal é bastante entendida em assuntos de cozinha. Fiz algumas pequenas alterações e não podia ter ficado mais satisfeita com o resultado, à primeira experiência obtive um doce muito Bom! Nos dias antecedentes tinha feito uma pesquisa exaustiva à procura de frascos de vidro que tivessem tampas em vermelho, tarefa que se reduziu quase impossível, visto o mercado português vender todos os frascos clonados com tampa unicamente cor bronze. Por fim encontrei o que queria, no tamanho perfeito, só tive que os lavar muito bem e esterilizar e voilà...

O Moinho

4 de janeiro de 2011

Este é o caminho que nos leva ao moinho. Um moinho perdido no tempo, abandonado e desprezado. Do interior ainda conseguimos subir as escadas e chegar ao topo e de lá poder admirar toda a imensidão do vale. Do chão recolhi uma pequena amostra de um azulejo partido em azul e branco, um painel religioso que decorava uma das paredes. No lado aposto ainda existe uma parede com azulejo intacto, que passo a mostrar na imagem.

Um lugar lindíssimo para restaurar e recuperar, um espaço que certamente daria uma bonita sala de chá.

Fotografia

2 de janeiro de 2011

Gostar de fotografar é sair repentinamente a um Domingo de manhã bem cedo, de pijama por baixo de uma roupa vestida à pressa e correr atrás de uma bruma matinal!

Dia 1

1 de janeiro de 2011

O Primeiro dia do ano,

... passeio de mãos dadas, de beijos com sabor a maresia, de mimos, desejos e sonhos escritos na areia, pés descalços e molhados, de olhar o horizonte e ver o primeiro pôr-do-sol, recordar e rir, recordar e saudar, lembrar esquecer e apagar o menos bom, reforçar vontades e metas, e sobretudo agradecer e pedir que saibamos aprender a ser pessoas cada vez melhores. Espero que o vosso começo tenha sido assim tão positivo quanto o meu...

Descontos na Loja!

É tempo de saldos lá fora, por isso aqui também não será diferente, na loja by Deva vão encontrar algumas peças a preços mais reduzidos, aproveitem!
As almofadas by Deva estão com 15% de desconto sob o preço marcado.

Todas as malas na loja estão com 30% de desconto, sob o preço marcado.

Nota - A campanha de promoções é válida durante o mês de Janeiro de 2011. Os preços não incluem os portes e o pagamento processa-se através de transferência bancária.