Social Icons

Criar um Diário

20 de outubro de 2020



Desde que me lembro, sempre gostei de escrever. Por volta dos meus 11 anos comecei a escrever num diário, depois noutro e noutro. Depois disso em adolescente, foi a vez das agendas e dos blocos cheios de notas escritas e apontamentos. 



Gosto de escrever, em forma de desabafo, em forma de gratidão, de alegria ou tristeza. Escrever um diário é bastante terapêutico, penso mesmo que é uma forma de nos conhecermos a nós próprios, é como fazer uma viagem ao nosso interior de onde emergimos sempre mais leves. Olhando para trás sempre escrevi e a minha escrita foi tomando forma e amadurecendo comigo. Escrevo sobre mim mesma, sobre as minhas memórias, sobre os meus desejos, sobre os meus momentos; mas, existem muitas outras formas de escrita, desde escrever um romance, imaginando uma personagem criada por nós, à escrita criativa, escrever sobre a forma de listas, etc...

Por exemplo, há dois anos, acho (?) criei dois diários criativos de natureza (devo ter um post algures aqui no arquivo do blog). O primeiro ao estilo scrapbooking com recortes, folhas e flores prensadas outro com desenhos e aguarela. A ideia era criar algo bonito, mas depressa me desmotivou e conclui que apesar de ter gostado da iniciativa, não era aquilo que precisava. Pelo menos naquele dado momento. Foi como que abrir um livro e perceber que aquele mesmo livro não tinha interesse para ti naquele dado momento, mas que talvez um dia lhe voltes a pegar e o leias compulsivamente. 

Nunca vos aconteceu o mesmo? A mim aconteceu-me precisamente isto com o livro "A profecia Celestina", de James Redfield. 

Nada deve ser imposto, tudo tem o seu tempo na ocasião oportuna. 

Escrever um diário pode ajudar-te no teu modo de pensar e trazer mais significado à tua vida. Podes escrever num blogue privado se for essa a tua vontade ou no teu computador, mas penso que a diferença está em escrever à mão no papel, penso que é mais terapêutico e mais bonito.

Deixo aqui alguns tópicos para começares a fazer journaling. 

Quando:

Ponto número um:

Quando for oportuno para ti. Não tem de ser todos os dias, nem tens de te sentir obrigado a fazê-lo. Podes escrever antes de deitar, de manhã, na pausa do almoço, nos transportes, enquanto a tua sopa coze, etc... tu escolhes!

Porquê escrever um diário:

Porque nos ajuda imenso a gerir as nossas emoções: o stress, a ansiedade e nos dá uma sensação de bem-estar e de alívio. Os benefícios positivos, são infinitos.

Como escolher o material para o teu diário:

Penso que não é importante, mas penso que importa gostares de escrever num caderno que gostes. Nesse aspecto gosto de escolher cadernos que sejam discretos e simples. Gosto de capas lisas ou com uma frase que para mim faça sentido. As capas sempre em tons neutros ou em último caso preto, nada de muito colorido e espalhafatoso. Prefiro, cadernos de folha lisa ou de linhas. 

Canetas, amo desde sempre tinta permanente! A parte disso, uso duas marcas que gosto imenso e há à venda em qualquer papelaria ou hipermercado por um preço muito acessível: a "Pilot G-TEC- C4 ou a uni-ball Signo 0,5". Ambas em preto, porque escrevo unicamente a preto. Basicamente, escreve com a tua esferográfica preferida ou se optares por comprar testa primeiro. Também uso bastante a lapiseira.

Ideias para começares a escrever no teu diário:

- Escreve sobre a tua situação actual, como te sentes, etc... deixa a tua escrita fluir e não te preocupes com a pontuação e em escrever bonito. Estás a escrever para ti e não para alguém.

- Escreve sobre como este ano de 2020 te tem afetado, faz do teu diário um confidente

- Conta uma história sobre ti que te deixou feliz

- Escreve sobre os teus desejos, sonhos, pequenas vitórias 

- Escreve sobre o que seria para ti o teu sucesso

- Escreve como gostavas que fosse a tua rotina

- Sobre o que aprendeste 

- Sobre gratidão

- O que te retrai, o que te tira energia e te deixa infeliz

- Ideias e pensamentos para fazer de ti uma melhor pessoa

- As tuas melhores qualidades, aquelas que te orgulhas

- Escrita livre. Escreve sobre qualquer coisa e deixa que a escrita tome o seu rumo.

Podes criar um ambiente acolhedor à tua volta enquanto escreves, acender uma vela ou um incenso, por uma música a tocar ou simplesmente ficar em silêncio. 


Espero que este post te tenha ajudado e que te motive. A mim têm-me ajudado bastante sobretudo nesta altura de pandemia.

Fica bem e até ao próximo post.

3 comentários

  1. Senti-me tão eu ao ler o seu post. Também gosto muito de escrever e escrevo desde há anos. Contos, pensamentos, ideias, qualquer coisa. Só não sou muito de poesia porque não tenho jeito... O mais próximo de poesias são letras para supostos louvores cantados que invento e canto para mim. E também nunca tive um diário a tempo inteiro. Acho porque a rotina na escrita não me cativa. Neste momento tenho um caderno, de capa rija, "grosso' que considero o meu diário devocional. Não é de carácter diário e tem alturas que estou semanas sem lhe pegar. Nele escrevo comentários ao que leio qua do leio a Bíblia, escrevo orações e os assuntos pelos quais oro e letras de hinos ou canções que me dizem algo. Há uns três anos atrevi-me a começar um com decorações desenhadas por mim, mas dá muito trabalho e o jeito é pouco��...desisti. agora é só escrita.

    ResponderEliminar
  2. Não tenho por hábito escrever. Quer dizer só listas ��
    Listas de sítios que quero conhecer, restaurantes, cafés... Listas de coisas que gostava de fazer em determinadas épocas do ano etc
    Recentemente ando com vontade de escrever as memórias que tenho dos meus avós. Tive uma infância muito felis, com recordações muito especiais e queria perpetuar essas memórias para que as minhas filhas e outras gerações da família co hecsm a sua história quando nós já não estivermos cá. Era um exercício interessante depois as minhas filhas escreverem sobre os seus avós e assim sucessivamente.
    Beijinhos querida Márcia ��

    ResponderEliminar
  3. Gosto sempre de te ler! Vou voltar a este artigo daqui a um mês, sensivelmente, quando a minha casa estiver habitável e finalmente conseguir o espaço e tempo para deixar a criatividade fluir. Obrigada pela partilha e pelas dicas.

    ResponderEliminar