Praga



Hoje pretendia mostrar-vos mais umas almofadinhas de cereais e ervas aromáticas que tinha feito e que cheiram maravilhosamente bem de tão bem recheadas que estão, mas a chuva roubou-nos a luz do sol e sem ela eu não tenho a luz suficiente para fotografar os produtos; então, lembrei-me que podia contar-vos sobre a viagem que fiz com o meu marido este verão, a Praga.

Em menos de nada, surgiu a ideia de irmos fazer um passeio a dois e em pouco mais de um mês estávamos a viajar para a Republica Checa. Escolhi Praga, por três razões: primeiro, porque a minha mãe já lá tinha estado e eu tinha gostado imenso de organizar e ver as suas fotografias, segundo porque gosto de cidades cuja a arquitectura me fascine (monumentos renascentistas, barrocos, góticos, etc...), por último a minha prima R. contara-me que Praga era como a cidade do Shrek! Escolhemos um voo que fizesse escala na Bélgica, assim pudemos apanhar um comboio e fomos conhecer o centro de Bruxelas. Almoçámos na Grand Place e passámos assim um dia a passear a pé por Bruxelas. Gostei  bastante de sobrevoar os campos belgas e ver lá de cima todo aquele verde e as casas tão bonitas. Havia coelhos em todas as zonas verdes do aeroporto, mesmo junto ás pistas de aterragem. Fiquei com muita vontade de voltar a Bélgica e conhecer Bruges! Quando chegámos a  Praga, apanhámos o autocarro e depois o metro (o centro da cidade ainda fica um bocadinho longe) da saída do metro até ao hotel eu arrastei-me. Chegámos deixámos as malas e o J. meu marido quis procurar um restaurante (cheio de fome, típico!). Acompanhei-o no mesmo passo lento e quando chegámos apesar do local ser top, todo o cheiro da comida me pôs pior. A empregada olhou para mim e disse-me: "precisas de descansar". Na manhã seguinte acordei doente e todos os dias que estive em Praga estive doente, com frio e febre e sem conseguir comer. Procurámos por uma farmácia e auto-mediquei-me. De manhã media a temperatura tomava os remédios e ficava no quarto. Aproveitava para falar ao telefone com toda a gente! O meu marido pacientemente ali ficava a cuidar de mim e a dizer-me que dormisse! Quando os anti-inflamatórios faziam efeito e me sentia bem, calçava uns ténis, disfarçava o meu ar macilento com a maquilhagem e dizia: estou pronta, vamos! Percorremos toda a cidade de Praga e felizmente conseguimos visitar tudo o que levava escrito. Apesar de em Praga ter tido a praga de adoecer, Praga fica para mim uma cidade muito especial, ultrapassou muitas das expectativas que eu pressuponha ter. É uma cidade linda! A minha mãe avisara-me que iria gostar muito, só se esqueceu de mencionar o quanto eu iria gostar! Praga é linda e merece ser visitada e percorrida, por todos aqueles que a admiram e a querem conhecer. Tem uma das praças mais bonitas que vi, ladeada por palácios, torres e catedrais. Tem os tons pastel a dar cor aos seus edifícios. Em Praga poderia fechar os olhos e esquecer o tempo e levar-me-ia para outra época, não fosse toda a multidão de  turistas. A Ponte Carlos e o castelo de praga são dois pontos altos, desta cidade. Subi a pé até ao castelo e pouco depois regressara cheia de frio e mau estar para o nosso hotel, ouvindo de caminho sermões sobre a minha própria teimosia. Foram dias com picos, entre euforia e desgaste. Poderia ficar aqui a escrever e contar-vos que vi em Praga as flores mais bonitas, o jardim que me fez parar e pensar o quanto seria bom permanecer ali com tempo sentada, simplesmente a ver, que as janelas no alto dos telhados me inquietam e me levam a pensar como seria bom ser jovem e estudar em Praga e viver numa casa com uma janela e um telhado como aqueles, poderia dizer-vos que ficou o desejo de fotografar a ponte Carlos numa madrugada de frio, poderia dizer-vos muitas outras coisas, mas digo-vos apenas que Praga é um regalo para os nossos olhos e um destino que nos inquieta. O povo não é uma simpatia, mas que importa se a cidade é uma das cidades mais bonitas. Acredito eu.

Obrigada meu amor por toda a paciência e por teres cuidado tão bem de mim.

* recebi um comentário anónimo a alertar para o facto de não usar devidamente a pontuação na escrita. O meu computador nem sempre me permite pontuar e usar devidamente a pontuação correcta, por motivos que desconheço não estou a conseguir usar alguns acentos. Para escrever este post e usar por exemplo as maiúsculas e alguns sinais de pontuação demorei muito tempo a escrevê-lo.

** Podem ver mais fotografias desta viagem no meu Instagram.

8 comentários

  1. Olá querida Márcia!!
    Praga é sem dúvida uma cidade que quero muito conhecer. E depois de ler o que escreveste fiquei ainda com mais vontade.
    Se tiveres oportunidade de voltar à Bélgica visita mesmo Bruges, vais amar, é uma cidade tão bonita, eu adoro a sua magia, já lá fui várias vezes e sinto sempre o mesmo.
    Beijinho grande

    ResponderEliminar
  2. Praga é uma cidade lindissima, também adorei. Visitei-a no início de um Dezembro, com direito a neve e tudo. E o cemitério dos judeus, todo branquinho, era a visão mais linda (esquecendo todo o resto menos bonito). Que belo passeio, foi pena a doença, mas sempre dá para perceber que o maridão é um cuidador perfeito :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Com neve Praga deve ficar lindíssima! daí o meu desejo de um dia voltar em pleno inverno.

      Eliminar
  3. Por acaso estava agora a escrever um post sobre as 10 ciddades do mundo que estive ate agora que viveria durante um ano e inclui Praga. Tem uma magia unica e parece mesmo que estamos na aldeia do shrek =) Mete mesmo Brugge na tua lista de viagens pois e deslumbrante e muito romantica. Podes tambem ir a Ghent nesa mesma viagem, uma semana e suficiente para te perderes nos encantos destas duas cidades lindas de morrer.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Marta vou guardar a sugestão. Adorei Praga é mesmo muito bonita!

      Eliminar
  4. Fiquei com vontade... Já fui a Bruges nos meus 12 anos e ainda hoje me recordo de como era bonita, por isso acho que vale mesmo a pena ir visitar.
    Bj

    ResponderEliminar