O mar


Já presenciei tempestades de mar, de muito perto, da janela do meu [antigo] quarto. Lembro-me da minha avó telefonar para nossa casa, para que fossemos todos lá dormir: - o mar de noite vai subir, fujam daí! dizia... Os meus pais ficavam eu ia, porque desde que vira com o meu primo o tal episódio do Conan e da Lana [lembram-se?] em que um marmoto atingira toda a ilha, receava acordar durante a noite com o meu quarto e casa cheio de mar! Todos os invernos, sobretudo por esta altura em Fevereiro as tempestades e os assobios do vento vindos das janelas, apesar das calafetagens persistentes que o meu pai fazia, o vento teimava e punha as minhas cortinas a dançar e eu só pensava em viver por cima da rocha, onde o mar nunca haveria de chegar. Passados trinta anos, a força do mar parece ter duplicado, assisto a ondas de 30 metros que facilmente se debruçam pelo paredão e destroem todos os apoios de praia. No Domingo a Caparica parecia o faroeste! Enquanto o Tomás fazia bolas de sabão, de longe fui vendo a multidão juntar-se, centenas de pessoas se acotovelavam com telemóveis e câmaras à espera daquela onda. Seria bom sinal, que toda essa mesma multidão se junta-se voluntariamente para limpar a praia e os destroços causados pela tempestade, por exemplo. Também é triste observar algumas pessoas mais afoitas, desrespeitarem as autoridades e lançarem-se tão perto do perigo. A natureza é bonita, mas em certa parte devemos temê-la e sobretudo respeitá-la. 


depois da tempestade...

12 comentários

  1. Fotos lindas ! Concordo plenamente, há que observar sempre a segurança, admirar o mar e sobretudo respeitá-lo. E partilho também a ideia de que ajudar seria bastante benéfico, para ambas as partes, " hoje eu, amanhã tu", teríamos uma sociedade com muito mais significado e essência. Bem hajas! :)

    ResponderEliminar
  2. Olá minha querida,
    Sabes, sou quase uma "filha" da Costa da Caparica e se há coisa que aprendi ao longo de todos estes anos, é que o mar não brinca, exige respeito e muitas são as vezes em que castiga quem tem a ousadia de o desrespeitar.
    Aos aventureiros, aqueles que desfiam o mar, só posso desejar...boa sorte.

    As fotos da "minha" Costa, Lindas!!!!
    Bjs,
    MJ

    ResponderEliminar
  3. que fotos maravilhosas. por vezes perdemos a noção do quão pequeninos somos.

    ResponderEliminar
  4. Concordo com tudo aquilo que foi dito! O mar bravo é lindo, mas de longe, muito longeeeeeeee :)

    ResponderEliminar
  5. Que lindos tons de azul! Fotos maravilhosas, para quando uma exposição?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. @ Trapos a voar, antes de mais obrigada pelo elogio! Adoraria, mas ainda me falta "mérito" para chegar a esse ponto.

      Eliminar
  6. As fotos estão lindas e tu cheia de razão. Com o mar não se brinca e, para variar, as pessoas acham sempre que "só acontece aos outros" e no fim, depois da desgraça, a culpa é sempre de alguém que não elas.
    Acho que nunca te tinha "ouvido" falar de quando eras pequena - gostei!

    ResponderEliminar
  7. Concordo perfeitamente, com o mar não se brinca.É uma força da natureza que merece muito respeito.

    Parabéns por mais um aniversário! Que faças muitos mais! Um beijinho

    ResponderEliminar
  8. Lindas as fotos, mas há que saber respeitar a natureza.

    ResponderEliminar
  9. concordo. Há que respeitar a natureza :)

    ResponderEliminar