Sobre as rosas, ou talvez não

Poderia dizer que no nosso jardim existem rosas, muitas rosas até, mas prefiro dizer-vos que no jardim da casa onde moramos existem rosas. É estranho ter um jardim, que não o sentimos como nosso, um imenso jardim por sinal, minado de regas automáticas e jardineiro, mas não é a mesma coisa que ter um jardim onde possamos abrir um buraco e plantar ali à porta, ou mais à direita ou à esquerda aquele vaso que trouxemos do mercado, porque este não é o nosso jardim. Este jardim, é regularmente orientado no sentido de ser o jardim perfeito, quando para mim um jardim só ganha vida e só é perfeito, quando é livre de crescer e morrer tal qual é, porque a natureza é mãe de si própria. Tenho bolbos catalogados em sacos que não foram postos na terra, porque para mim não fazia sentido depositá-los junto com alfaces e couves. Muitas vezes penso, o quanto gostaria de me debruçar na janela e imaginar, ver os meus bichos soltos lá fora, de podar, plantar e semear quando me apetecesse, de andar de verão lá fora apenas de  t-shirt e descalça sobre a terra, de ver o meu filho fugir de cuecas a correr pelo quintal afora às gargalhadas, sem que ninguém nos vigiasse, sem que ninguém entrasse ou saísse a não sermos nós mesmos. Mas, preciso de meditar sobre tudo isto, porque não gosto desta minha maneira de ver, não é a certa, não é a mais correcta e não é o que tento imprimir em mim, a mais grata  perante o que Deus nos dá. A propósito, passei a gostar de rosas!

10 comentários

  1. Olá,
    Adoro rosas e de todas as cores são as minhas flores preferidas, as suas são lindas, maravilhosas é quase impossível não gostar.
    Beijinhos
    Paula

    ResponderEliminar
  2. Essas rosas são de facto lindas. E apesar de não ser o vosso jantar, feito à vossa semelhança como família, pelos menos é um jardim... E isso já é bem melhor do que uma pequena varanda (como a nossa) ou viver numa casa que não tem nenhum espaço ao ar livre...
    :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Claro que sim Ondina, tenho perfeita consciência disso :) obrigada!

      Eliminar
  3. Confesso que não partilho dos prazeres da terra, para mim o campo continua a ser o sítio onde vou tirar umas fotografias e logo me aborreço! Flores são nas floristas e o fimbre vem do supermercado ;) sou míuda da cidade, nada a fazer. Mas tal como tu tenho aprendido a gostar de rosas. Não gostava delas, achava-as perfeitas demais, pomposas de mais, comerciais demais. Estavam por todo o lado e em todas as cores e eram as preferidas de toda a gente, umas snobs, que irritação! Para cúmulo tive um namorado muito ciumento que armava cenas e se desculpava sempre com rosas. Pobres rosas, passei a detestá-las :)
    Feliz Ano Novo, carregado das mais variadas flores!

    ResponderEliminar
  4. Quem sabe os pequenos "amores" descobertos tornarão menos cinzenta esta tua mudança :) E um dia o teu filhote voltará a correr de cuecas o jardim!! ;))) Um beijinho Márcia!

    ResponderEliminar
  5. Desculpa a pergunta mas a estadia nessa casa vai ser temporária ou não ?
    Compreendo o que dizes quando não sentimos o espaço que habitamos como nosso; das duas uma, ou saem ou vais ter de fazer um grande exercício de adaptação, infelizmente as coisas nem sempre correm como mais desejamos ...
    Mas desde que estejamos junto da nossa família e com saúde tudo o resto é relativo ( embora tenha a sua importância claro )
    Um bom ano de 2014 Márcia :*

    ResponderEliminar
  6. Desperdiçamos demasiada energia a tentar ajustar-nos a uma ideia. A ideia do que achamos mais correto, mais consensual, é uma "luta" interna desgastante.
    Na verdade a terra é um imenso jardim que humanos retalham e dividem. Se calha damos demasiada importância ao que não temos, e, enquanto isso não gozamos o muito que temos.
    Desfrute. Imagino-a pessoa bonita por dentro. :)

    Eugénia

    ResponderEliminar
  7. E eu que sempre adorei rosas! Em miúda gostava de cheirar as centenas de rosas que enchiam o jardim de uma casa vizinha mas tinha sempre a dona a controlar à janela para não cair na tentação de levar uma comigo. Acho que o que me atraía era mesmo serem tão perfumadas, coisa que me deixou desiludida quando comecei a receber rosas de florista!

    ResponderEliminar
  8. Concordo plenamente com o comentário anterior. Mas também acho que quem não sente não é filho de boa gente, e que se não estás adaptada à tua realidade não estás e pronto. Com o tempo isso acontecerá, ou a tua vida mudará...entretanto ajuda estar rodeada de flores e essas rosas são mesmo bonitas! Que 2014 traga a realização dos teus sonhos, a mudança que precisas, exterior ou interior. Felicidades! :-)

    ResponderEliminar