A Pedra


Há dois dias atrás no caminho para a escola do T. mesmo enquanto conduzia, num cruzamento algo me chamou atenção, uma pedra! Apenas, uma pedra, uma singular pedra, sem qualquer valor material, sem vida, sem graça, apenas uma pedra. Uma pedra ali parada há  dias, anos, não sabemos, uma pedra em cima de um muro. Estranhamente pensei, uma pedra poderá viver (alegoricamente) tantos e tantos anos solitariamente num único lugar, excepto que alguém a mova, que a carregue ou a atire para outro lugar. Há muitas e muitas pedras e vemos-las todos os dias em toda a parte, mas esta pedra não é qualquer pedra, não tem o toque da humanidade é daquelas pedras únicas que achamos e guardamos no bolso.  Não me esqueci dela. Ontem quando passei no mesmo lugar, via. Fui lá e fotografei-a. Imóvel e serena como uma pedra o é, no sol que ontem era chuva, no mesmo lugar, no muro de sempre. E  deixei-a ficar pois à natureza ela pertence. Esta é a fotografia da pedra que vos falo. 

14 comentários

  1. Nem toda a gente ve o que vejo, sente o que eu sinto e, assim nos vamos diferenciado todos ;)Obrigada!

    ResponderEliminar
  2. Também me acontece reparar em pormenores e descobrir-lhes uma beleza única. E há tanta beleza nas coias simples da vida!

    ResponderEliminar
  3. Gostei deste post Márcia! Tal como as pedras, também existe assim seres humanos, precisam de um empurrão para que se movam. Ainda bem que és o que és e continua a ver coisas diferentes com sentidos e caminhos diferentes, faz-nos bem a diferença. Beijinhos

    ResponderEliminar
  4. Que bonito:) A vida é realmente feita de pequenos pormenores

    ResponderEliminar
  5. Perfeito!
    Se fosse comigo levava a pedra comigo, para a minha colecção...

    ResponderEliminar
  6. A foto está maravilhosa !
    Faz-me muito lembrar uma recordação de infância sobre a qual escrevi à relativamente pouco tempo ... por isso é melhor não mexer não vá alguma criança ficar desapontada no fim do dia :)

    ResponderEliminar
  7. E com tudo isto tornaste-a numa pedra famosa... e cheia de personalidade! :)

    ResponderEliminar
  8. como coisas tão simples (e à superfície) nos remetem para as profundezas dos nossos pensamentos!! :)

    ResponderEliminar
  9. Marcia,já ouviu falar de um grande poeta que temos aqui: o Carlos Drumond de
    Andrade? E ele tem um famoso poema:

    No Meio do Caminho
    Carlos Drummond de Andrade

    No meio do caminho tinha uma pedra
    Tinha uma pedra no meio do caminho
    Tinha uma pedra
    No meio do caminho tinha uma pedra.

    Nunca me esquecerei desse acontecimento
    Na vida de minhas retinas tão fatigadas.
    Nunca me esquecerei que no meio do caminho
    Tinha uma pedra
    Tinha uma pedra no meio do caminho
    No meio do caminho tinha uma pedra.

    Você e o Drumond em sintonia...

    Um abraço!
    Egléa

    ResponderEliminar
  10. Gosto tanto destes pormenores da natureza... Para uns uma simples pedra... Para outros um grande pensamento ;)

    ResponderEliminar