O Moinho

Este é o caminho que nos leva ao moinho. Um moinho perdido no tempo, abandonado e desprezado. Do interior ainda conseguimos subir as escadas e chegar ao topo e de lá poder admirar toda a imensidão do vale. Do chão recolhi uma pequena amostra de um azulejo partido em azul e branco, um painel religioso que decorava uma das paredes. No lado aposto ainda existe uma parede com azulejo intacto, que passo a mostrar na imagem.

Um lugar lindíssimo para restaurar e recuperar, um espaço que certamente daria uma bonita sala de chá.

12 comentários

  1. Ou mesmo uma linda lojinha de artes decorativas:) Nunca se sabe...

    ResponderEliminar
  2. Com uma sala de chá dessas, nem sei... Que prazer, sentar, relaxar, usufruir dos sabores e dos aromas e da paisagem circundante... Bom, enquanto isso não acontece, usufrui o melhor possível desse espaço magnífico. Absorve-lhe a alma e sente-te crescer. Eu fico aqui, à espera de mais, feliz por saber que ainda há sítios assim e pessoas com alma para os captar. Parabéns.

    ResponderEliminar
  3. que lindas as fotos, tão mágicas e misteriosas! Parecem as brumas de Avalon :)

    ResponderEliminar
  4. Adorei as tuas fotografias. Os meus parabéns!

    ResponderEliminar
  5. Que lugar mais lindo Márcia! Essa primeira foto é divina, mágica mesmo!

    Adorei o novo visual do blog, super elegante!

    Beijo,
    Camila F.

    ResponderEliminar
  6. Uau! Lindas fotos! Que linda descoberta!
    Se eu estiver certa... se não forem uma reprodução posterior... Esses azulejos são chamados "azulejos de figura avulsa" eram feitos na Holanda e foram usados em Portugal em meados do séc. XVIII! Parecem estar muito bem conservados! Admira-me que estivessem colocados no interior de um moinho! Fantástico!

    Obrigada por partilhares esses teus passeios!

    Um abraço
    Joana

    ResponderEliminar
  7. gostava de acordar todos os dias neste sitio tao bonito!

    ResponderEliminar
  8. Adoro estes azulejos. Muito muito bonitos.

    ResponderEliminar

Instagram