Tela

Se tivesse que pintar uma tela calaria todos os meus gritos internos!
Usaria cores multicolores e traçaria com elas todos os meus desejos!
Com um borrão negro abafava de uma vez; a tristeza...!
Numa circunferência compassada, centraria o mundo e pintaria a rosa,
Azul e laranja todos os desejos e sabores da vida!
Sublinhava sentimentos linha a linha e preenchia-os
Sob um retoque dourado!
Num gesto rápido e perspicaz
Riscava a cinza, preto e branco todas as incertezas e dores
E sobre estas desenhava
A Felicidade!

(Escrito em 2005. É constrangedor quando vemos as nossas imagens, as nossas palavras, os nossos pensamentos, copiados por outras pessoas na Internet!!!)

9 comentários

  1. Bonito o teu poema! Parabéns!
    Beijinho

    (A falta de originalidade aliada ao plágio... é vergonhoso!)

    ResponderEliminar
  2. Gostei muito do teu poema.
    As cópias são tristes e lamentávelmente acontecem com muita frequencia na internet...
    Bjs*

    ResponderEliminar
  3. Olà Marcia
    Muito bonitas as palavras do teu poema, mas o que acrescentaste entre parêntesis, apaga um pouco para mim essas cores lindas embora compreendo o que sentes.
    Eu (o meu ego) não gostaria de ver uma foto tirada por mim aparecer com o nome de outra pessoa, é claro... mas outra parte de mim, aquela que sabe que a posse é uma ilusão e que somos apenas UM Todo, compreende e aceita o que dizia Agostinho da Silva quando renunciava aos direitos de autor das suas obras...
    "Como saber que as ideias são minhas? Elas passam ai, por cima de mim e às vezes acontece que apanho uma..."
    Grande sabedoria este homem!
    Ao partilharmos com amor e sinceridade os nossos dons aceitamos o que pode acontecer(ainda por cima através do www)... o nosso ego cuida do resto e de forma muito condicional.

    A diferença entre um autor e um plagiador é que o 1° é um criador e alegra-se da beleza que viu ou sentiu e transformou em obra, enquanto o 2° é um ladrão que se alegra daquilo que rouba aos outros (o que não deve ter muita piada)
    O teu trabalho é único e é o reflexo de quem tu és.
    Um abraço
    Isabelle

    ResponderEliminar
  4. oh não, a ti também? :(

    raios parta os copy cats!

    força!

    ResponderEliminar
  5. Não fiques aborrecida...eu cá tb acho que é MESMO como diz "A Casa em que Vivemos"!

    ResponderEliminar
  6. que comentario tao sensato o da 'a casa onde vivemos' deixou-me a pensar... e um assunto delicado e compreendo o teu desabafo... eu admiro blogs bonitos de pessoas que partilham pedacos de si e da sua vida, assim como o teu... uso-os como inspiracao... nao deixes de ser quem es e de fazer o que e como fazes! o poder de partilha e uma capacidade bonita...
    jinhos.sonia

    ResponderEliminar
  7. É verdade Isabelle, o meu Ego sentiu-se um pouco injustiçado... faz parte dele reagir assim. Mas dentro de mim para além deste corpo que habita esse Ego, algo me fala mais alto revelando que isso não tem a menor importância face a tantas outras coisas à face da terra, o eu é o nome de quem por vezes não me deixa iludir face aos enganos do Ego! Não deixa de ser uma dualidade interessante, cabe-nos a nós distanciar e equilibrar as duas.
    Um beijo :)

    ResponderEliminar
  8. Bem vinda ao Jogo de Ser Humano ;-) e continua a tua bela escrita.
    bjs
    isabelle

    ResponderEliminar
  9. ...parece que se "fizeram as pazes"! ...Boa!! Assim, até a tua inspiração há- de fluir melhor!!
    ...Yes, we should stuck to what's important!!!

    ResponderEliminar

Instagram